MEETINGS: SEVERAL ACTS EMBRACING DRAWING

Comissário 
Sérgio Azevedo

Curadores
Pedro António Janeiro, Less Almeida, Sérgio Azevedo

"Encontros: Vários Actos em Torno do Desenho propõe criar um espaço onde estudantes de arte, académicos, jovens artistas e curadores entre outros amantes das artes, se possam debruçar sobre esta disciplina — elementar nos processos artísticos e criativos — convidando o público a analisar um conjunto de obras e exercícios que terão a sua génese no exercício de desenhar, como forma de pensamento e perceção do mundo. Apesar de fechado há cerca de dez anos, o espaço da antiga galeria do artista Lagoa Henriques é, por excelência, representativo desta prática. Este é um edifício que marca a memória de uma vasta geração de arquitetos, designers e artistas que com ele aprenderam a desenhar, a desenvolver e educar o olhar. Esta forte caraterística simbólica da antiga galeria, é o mote curatorial para os Encontros: Vários Actos em Torno do Desenho. Assim o projeto funde-se com a arquitetura que o acolhe, restituindo o edifício do seu papel e devolvendo-o à cidade, num processo de reativação que aciona questões como: memória, função e utilização. Os Encontros: Vários Actos em Torno do Desenho culminarão num ciclo de exposições, exclusivamente dedicadas à sua prática, que irão acolher no seu interior uma programação complementar, apresentando outros projetos de autor, pequenas seleções de artista, auto edições ou livros de artista. Os “desenhadores” que o projeto reúne proveem de diferentes áreas do campo artístico — da Arquitetura às Artes Plásticas. Estes apresentarão obras, trabalhos e exercícios representativos do papel do desenho enquanto disciplina fundamental do processo de reflexão e que, aqui, poderá ser abordado, entendido e exibido. Pretende-se criar um modelo expositivo que não se apresente como uma exposição convencional, silenciosa e estática — pelo contrário, esta deverá resultar num espaço dinâmico de encontros e conversas ou até de ateliê aberto, esperando que o público se envolva no contexto dos processos de criação e não apenas com um conjunto de obras feitas e terminadas."

Comissar 
Sérgio Azevedo

Curators
Pedro António Janeiro, Less Almeida, Sérgio Azevedo

"Meetings: Several Acts Embracing Drawing proposes to create a space where art students, academics, young artists and curators amongst other art lovers can address this subject — elemental to artistic and creative processes — inviting the public to analyse a set of pieces and exercises that will have their genesis in the exercise of drawing as a way of thinking and perceiving the world. Although closed for about ten years, the former gallery space of the artist «Lagoa Henriques» is representative of this practice. This is a building that marks the memory of a vast generation of architects, designers and artists which learned to draw, to develop and educate their gaze with him. The gallery’s strong symbolic feature is the curatorial theme for the Meetings: Several Acts Embracing Drawing. Therefore the project merges with the surrounding architecture by restoring the building to its role and returning it to the city, in a reactivation process that triggers questions such as: memory, function and usage. The Meetings: Several Acts Embracing Drawing will culminate in a cycle of exhibitions dedicated exclusively to its own practice which will host a supplementary programme, presenting other author’s projects, small artist selections, self-editions or artist books. The drawing participants that the project gathers come from different areas of the artistic field — from Architecture to Fine Arts. They will present pieces, works and representative exercises of the role of drawing as an essential discipline within the reflection process and that, here, might be discussed, understood and displayed. It is intended to create an exhibition model that does not appear to be a conventional, silent and static exhibition, on the contrary, it should result in a dynamic space for meetings, conversations or even open studios, hoping to engage the public in the context of processes creation and not just a collection of finished works."

Sérgio Azevedo

ACT I

DESENHOS DA LISBOA ALTERNATIVA

Curador 
Pedro António Janeiro

A exposição DESENHOS DA LISBOA ALTERNATIVA pretende mostrar ao público a Lisboa não-turística e não-pitoresca; e surge, como ideia, de uma selecção do resultado do trabalho dos alunos da Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa (FA/Ulisboa) inscritos na Disciplina Optativa Desenho da Lisboa Alternativa (Para Erasmus e Não Só) no segundo semestre de 2013-14, com a responsabilidade científica a cargo de Pedro António Janeiro.

 

DRAWINGS OF THE ALTERNATIVE LISBON

Curator
Pedro António Janeiro

The exhibition DRAWINGS OF THE ALTERNATIVE LISBON intends to show to the public the non-tourist and non-picturesque Lisbon. It arises as an idea, a selection of the result of the work of students from the Faculty of Architecture of the University of Lisbon (FA/Ulisboa) enrolled in the optative subject «drawing of the alternative Lisbon» (For Erasmus and not only) in the second semester of 2013-14 with the scientific responsibility borne by Pedro António Janeiro. Drawing of the alternative Lisbon is a subject that runs alongside the Research Project «Imagined Architectures»: Architectural Graphic Representation and Other-Images based at the Research Centre for Architecture, Urbanism and Design, CIAUD/FCT/FA/Ulisboa.

Em parceria com Universidade de Lisboa, Faculdade de Arquitectura-UL, CIAUD, Arquitecturas Imaginadas, FCT Com o Apoio de Câmara Municipal de Lisboa, Pastéis de Belém, Delta, Confraria da Empada

ACT II

III ACTOS EM DESENHO 

Curador 
Sérgio Azevedo

"Em III Actos Em Desenho apresenta-se uma escolha de três autores do panorama artístico contemporâneo português, ainda em fase académica no curso de mestrado em Artes Plásticas, cujo trabalho incide numa prática de desenho assídua e maturada como centralidade do seu percurso podendo, nesse campo, configurar uma forte proposta para a geração de novos artistas em Portugal. (...) pensou-se uma exposição a partir de uma seleção de trabalhos capaz de desvendar o papel do Desenho (...), quer enquanto produto final, quer enquanto desencadeamento de um processo criativo. Devemos, aqui, considerar Desenho (...) aquilo que está por detrás de uma obra resolvida e terminada, que encerra um caminho de reflexão e se torna “digna” de ser exposta como projeto final. (...) essa prática instintiva e essa produção contínua de esboço e registo imediato, acaba por resultar num trabalho suficientemente consolidado, encontrando a “dignidade” necessária para se ver resgatado do contexto do ateliê para o espaço expositivo como Obra válida (...). Neste sentido, (...) o que aqui, nesta ocasião, tomaremos como Desenho: Uma atitude de rascunho – registo imediato das ideias e do instinto, deixando emergir o erro, ou mesmo procurando-o como forma de êxito, encontrando problemas e voltando a desenhar."

 

III ACTS IN DRAWING

Curator 
Sérgio Azevedo

"In III Acts in Drawing we present a choice of three authors of the contemporary Portuguese art scene, still in the academic phase of a Master’s degree level in Fine Arts, whose work focuses on a diligent and matured Drawing practice and which may, in this field, set a strong proposal of a new generation of artists in Portugal. (...) we tried to think of an exhibition from a selection of works capable of uncovering the role of Drawing (...), either as a finished product or as a trigger of a creative process. We should here consider Drawing (...) that which is behind a settled and finished work, which entails a journey of reflection and becomes “worthy” of being exposed as a final project. (...) this instinctive practice and this continuous production of the draft and immediate record eventually results in a sufficiently consolidated work, finding the “dignity” needed to be rescued from the context of the studio into the exhibition space as a valid Work by itself. In this sense (...) on this occasion, we take as Drawing: A draft action - immediate recording of ideas and instinct, allowing error to emerge, or even looking for it as a way of success, finding problems and re-drawing."


Sérgio Azevedo

Artistas
Artists
Francisco Venâncio, João Gabriel Pereira, Verónica Calheiros

Com apoio de A Caixinha, Delta, Câmara Municipal de Lisboa

PARALLEL PROGRAMME

SEMANA I

"Da inércia do espaço, surge um exercício de ligação de dois momentos, do choque entre eles emerge a curva."

Joana Trindade Bento

SEMANA II

"Tapetes rolantes no deserto, constitui um projeto de instalação levado a cabo pela artista e apresentado no fim de 2013 na Galeria Boavista, em Lisboa. Nesta peça Andreia manipulou uma passadeira rolante de corrida retirando o habitual suporte superior de apoio do desportista, deixando apenas a funcionar a plataforma de chão. Nesta duplicação do chão foi incidido um corte na lona em constante rotação — o buraco. O buraco, bem como a lona, vai e vem incessantemente, tornando impossível o uso “habitual” do objeto. A passadeira rolante é aqui uma estrada rotativa, o alcatrão que pode ser amovível. O que, de desenho, surge aqui apresentado é um livro de artista resultante do processo de desenvolvimento e criação da peça, onde constam várias maquetas, desenhos soltos e apontamentos, que serviram de esboço para a obra final."

Andreia Santana

SEMANA III

"O desenho é organizado pelo nosso olhar sem nunca ser quebrado pela nossa visão periférica. Quando quebrado pela visão periférica, ao rodarmos a cabeça para acompanhar o desenho, nasce um outro desenho. Esta soma de desenhos (rodar de cabeça) obedece ao domínio da leitura. Sempre que um desenho é cortado, como o corte feito por uma fração da grelha de papel milimétrico, esse desenho pertence à leitura ou à narrativa. Se um desenho for ininterrupto torna-se um signo."

Filipe André Alves

SEMANA IV

"Em jeito de conclusão deste ciclo pretende-se coser e interligar Desenhos da Lisboa Alternativa, na sua vertente académica, com III Actos em Desenho, através da exposição conjunta de duas séries de desenhos da autoria de Pedro António Janeiro e Sérgio Azevedo.

Pedro António Janeiro, arquitecto-designer e académico, traz-nos uma selecção de desenhos de modelo nu, resultantes de exercícios realizados em contexto lectivo, numa reflexão em grupo, desenhada e falada, acerca da representação bidimensional do corpo anatómico. Sérgio Azevedo, artista plástico, através da sua pesquisa e trabalho escultórico a propósito de fragmentos de corpos arquitectónicos devolutos, usa o desenho como meio de reflexão acerca da demarcação simbólica de uma zona outrora habitada.

Um arquitecto - que nos fala de desenho - e um artista plástico - que fala de arquitectura - ao mesmo tempo que se apresentam, provocam-se.

O corpo, aqui entendido como matéria, é explorado e manuseado distintamente: o corpo enquanto exercício de desenho versus desenho como exercício para trabalhar o corpo. Surgem, neste diálogo e em ambos, tensões entre a matéria, entendida como escultórica, e um corpo fixo e fixador.

Os invólucros abrigam, escondem, livram do pudor da descoberta de uma identidade pessoal. A memória corpórea de uma casa, ou o corpo anatómico sem roupa, levantam o véu sobre os limites físicos e abstractos da privacidade individual, agora transformada em expositiva.

Por um lado, pessoas despidas (entenda-se: expostas às vistas, descobertas) em posições e perspectivas escultóricas tensas e anatomicamente complexas e, por outro, uma arquitectura nua no seu cerne, que se propõe a ser simbolicamente reabitada, através de um novo corpo não-orgânico que sela o espaço poético do vazio existente.

Aqui, os corpos, enquanto matéria [nua (?)], moldam-se com e dentro do espaço que os contêm, deformando-se, transformando-se, assumindo novas formas."

Curadora 
Less Almeida

WEEK I

"From the inertia of the space comes to light an exercise of connecting two moments, from the shock between them emerges the curve."

Joana Trindade Bento

WEEK II

"Tapetes rolantes no deserto, constitui um projeto de instalação levado a cabo pela artista e apresentado no fim de 2013 na Galeria Boavista, em Lisboa. Nesta peça Andreia manipulou uma passadeira rolante de corrida retirando o habitual suporte superior de apoio do desportista, deixando apenas a funcionar a plataforma de chão. Nesta duplicação do chão foi incidido um corte na lona em constante rotação — o buraco. O buraco, bem como a lona, vai e vem incessantemente, tornando impossível o uso “habitual” do objeto. A passadeira rolante é aqui uma estrada rotativa, o alcatrão que pode ser amovível. O que, de desenho, surge aqui apresentado é um livro de artista resultante do processo de desenvolvimento e criação da peça, onde constam várias maquetas, desenhos soltos e apontamentos, que serviram de esboço para a obra final."

Andreia Santana

WEEK III

"A drawing is organized by our gaze without ever being broken by our peripheral vision. When broken by the peripheral vision by rotating the head to follow the drawing, another drawing is born. This sum of drawings (head rotating) obeys to the command of reading.Whenever a drawing is cut, like the cut made for a fraction of the grid graph paper, this drawing belongs to the reading or the narrative. If a drawing is uninterrupted it becomes a sign."

Filipe André Alves


WEEK IV

"By way of conclusion of this cycle it is intended to sew and interconnect Drawings of the Alternative Lisbon, in its academic sphere, with III Acts in Drawing, through the joint exhibition of two series of drawings by Pedro António Janeiro and Sérgio Azevedo.

Pedro António Janeiro, architect-designer and academic, brings us a selection of nude model drawings resulting from exercises performed in an academic context, a drawn and spoken group reflection about the two-dimensional representation of the anatomical body. Sérgio Azevedo, visual artist, through his research and sculptural work on fragments of derelict architectural bodies, uses drawing as a means of reflection on the symbolic demarcation of an area formerly inhabited.

An architect – who speaks of drawing – and a visual artist — who speaks of architecture – while presenting themselves and provoking one another. The body, understood here as matter, is explored and handled distinctly: the body while drawing exercise versus drawing as an exercise to work the body. In this dialogue, tensions arise between matter, understood as sculptural, and a fixed and fixative body.

The involucres harbour, conceal and set free the shame of the personal identity discovery. The corporeal memory of a house or the anatomical body without clothes, raise the veil on the physical and abstract boundaries of individual privacy, now transformed into exhibition.

On one hand, naked people (exposed to views, findings) in tense and anatomically complex sculptural positions and perspectives, on the other hand, a naked architecture at its core, which proposes to be symbolically reinhabited through a new non-organic body that seals the poetic space of the existing emptiness. Here, the bodies whilst matter [naked (?)], shape up with and within the space that contains them, deforming and transforming themselves, assuming new forms."

Curator
Less Almeida